Como construir uma carreira internacional em TI

Como construir uma carreira internacional em TI

Como construir uma carreira internacional em TI?

Vivemos uma situação econômica desfavorável a tempos em todos os setores e um profissional de TI qualificado com experiência de mercado, acaba vivendo o fantasma do desemprego, isso porque os perfis seniores tem menos chances de recolocação no mercado.

Com este cenário de crise e a demora de uma recolocação por questões de custo e outros fatores fazem com o que estes perfis migrem para uma carreira internacional, é um grande passo para uma experiência profissional e pessoal no entanto exige mais do que experiência na área.

Aqui estão algumas dicas:

1. É preciso se preparar de forma adequada para entender as exigências internacionais, ter pleno conhecimento da realidade econômica e política do país, além de saber como funciona a operação das empresas locais

2. Estude sobre o país que você está interessado, política, economia, cultura, relações comerciais etc. Quanto mais por dentro estiver, maiores as chances de sucesso.

3. Na área comercial e no atendimento/relacionamento com o cliente o fator comunicação é fundamental, bagagem profissional de anos na área não vale nada no exterior se o profissional não souber se comunicar adequadamente ou não for articulado a ponto de sustentar uma negociação, reunião ou apresentação, então invista na fluência do seu inglês porque o desenvolvimento do vocabulário business é essencial para quem busca integrar equipes internacionais.

4. Esqueça o jeitinho brasileiro, porque só funciona aqui, lá fora causa uma péssima impressão. Os estrangeiros querem respostas práticas e objetivas com garantia de resultados, fora que o fato do profissional ser o forasteiro gera ainda mais pressão na cobrança de resultados.

5. Esteja preparado emocionalmente para trabalhar no exterior. O brasileiro tem um vínculo afetivo com a família e nenhuma empresa lá fora quer contratar um brasileiro que tenha que voltar para o brasil a cada 15 dias, isto se torna o custo final deste profissional maior que o local reduzindo assim as chances de contratação.

6. Se tiver a intenção de trabalhar em outro país, tenha em mãos toda a documentação necessária, visto de trabalho internacional, outros documentos necessários seus e da família, situação profissional regularizada são exigências que dependem do profissional e não da empresa que irá contratá-lo.

7. Trabalhar no exterior é desafiador e tem o poder de desenvolver habilidades que talvez um profissional nunca consiga desenvolver atuando somente no Brasil, então estude, informe-se sobre as opções, há diversas empresas a procura de talentos brasileiros em tecnologia para integrar projetos internacionais.


Publicado em 11 de julho de 2017.

 Compartilhar